A importância de fazer relatórios e monitorar os dados da sua empresa

Por mais que elaborar relatórios pareça algo desnecessário ou até mesmo uma atividade sem importância, saiba que isso está totalmente equivocado. Os relatórios são essenciais para o sucesso de toda a empresa, pois eles definirão o que está dando certo e o que deve ser mudado imediatamente. Então, nada de pular essa etapa importante! 

Uma dica para não tornar essa atividade muito massante é definir alguns índices a serem medidos e realizar esses relatórios a cada três ou seis meses, tudo dependerá do tamanho da sua empresa e das suas ações. Fatiar os dados em pequenas porções ou analisar uma parte do todo com equipes distintas facilita muito para não tornar a análise algo ainda mais desmotivador. 

Existe uma frase muito utilizada na administração que diz o seguinte: o que não ser medido, não pode ser melhorado. Em outras palavras, se você quer atingir um objetivo é preciso ter em mente o que você realmente quer e estabelecer índices para medir os resultados. Por exemplo, quero aumentar os comentários dos meus posts (engajamento), então você precisa reunir os dados atuais de quantos comentários já existem e quais as estratégias para atingir o objetivo.   

  • Relatório de ações de marketing digital 

Existem milhares de tipos de relatórios que podem medir a produtividade de uma equipe, a recepção de um produto ou quaisquer outros fatores. Mas aqui vamos focar somente em ações de marketing, ou seja, nos relatórios que apresentamos aos nossos clientes sobre o que foi realizado ao longo do mês, semestre ou ano.

Todos os relatórios apresentados são formatados de acordo com a necessidade e estratégia aplicada a cada negócio. Por isso, a expertise da nossa equipe é tão importante nesse momento, já que existe uma análise mais aprofundada dos dados antes de apresentar os resultados. 

  • O que deve conter num bom relatório de mídias sociais? 

Não existe um modelo perfeito de relatório como uma receita de bolo. Existem muitos modelos prontos que algumas ferramentas de gerenciamento de redes oferecem e podem ser muito interessantes para medir alguns KPIs (indicadores-chaves), mas também podem deixar a desejar em outros pontos, como a interpretação dos dados. A maioria dos programas disponíveis apenas mostra os dados crus, sem explicar por que eles existem e o que aconteceu para que aqueles números estivessem ali. 

É muito importante mostrar ao cliente ou aos gestores em qual ponto a estratégia funcionou e em qual não foi satisfatório. Por exemplo, o engajamento pode ter sido baixo devido ao pouco conteúdo compartilhado ou a falta de investimento em anúncios. Os números são muito importantes quando falamos em relatórios, mas é imprescindível a análise e explicação do analista de comunicação e marketing a cerca dos dados. 

Para te dar um norte, nós fizemos uma lista do que, normalmente, é necessário para um relatório de mídias sociais: 

  • Período de análise; 
  • Número de seguidores nas mídias sociais analisadas;
  • Taxa de engajamento;
  • Quantas publicações foram feitas no período;
  • Quantas interações os conteúdos tiveram?
  •  Dados do Google Analytics: número de acessos ao site, taxa de permanência nas páginas, de quais fontes foram acessadas (facebook, instagram, pinterest, etc.), taxa de rejeição.

Além de apresentar esses dados de maneira organizada e clara, é importante ter um parágrafo explicativo interpretando os números e mostrando quais foram os verdadeiros resultados. Seja sincero e use os dados a seu favor, não adianta nada maquiar um possível sucesso se isso realmente não acontecer. 

Use o relatório como uma boa fonte de solução de problemas, por meio dele é possível enxergar falhas, gargalos e uma ótima oportunidade de fazer diferente. 

Você já costuma realizar relatórios ou ainda tem dúvidas e precisa de ajuda? A nossa equipe está pronta para ajudar no que for preciso. Entre em contato conosco! 

Endomarketing: uma ferramenta poderosa e muitas vezes inexplorada

Você tem a sensação que na sua empresa as pessoas não conversam, não há diálogo? Ou todas as ações que você propõe não têm muita adesão? Saiba que o endomarketing pode te ajudar muito. Vamos descobrir primeiro do que se trata e algumas dicas para aplicá-lo! 

O Endomarketing deriva-se do marketing institucional e utiliza técnicas para melhorar o clima organizacional e promover ações para o público interno, por isso o prefixo endo – de dentro. Em outras palavras, pode ser definido como as ações adotadas com foco em atingir os colaboradores de uma empresa. Diferente do marketing tradicional, cujo foco é o cliente, o consumidor final, o endomarketing tem como principal objetivo o público interno.

Um dos principais objetivos dele é aumentar a confiança dos funcionários na empresa e fazer com que eles tenham o sentimento de pertencimento, o famoso vestir a camiseta. 

No momento em que o time interno está mais motivado e engajado, é possível conter o turnover, que significa a taxa de demissão e oscilação de funcionários de uma organização. Assim, além de reduzir custos trabalhistas, a estratégia ajuda na retenção de talentos e no aumento da produtividade.

Endomarketing na prática 

O endomarketing caminha junto com uma comunicação eficiente, então não basta ficar só no campo das ideias, é preciso contar com ferramentas que darão resultados positivos para as suas ações. Nós selecionamos algumas estratégias que já foram testadas e são ótimas dicas para pôr em prática o endomarketing:

1) Reconhecimento é bom e todo mundo gosta

Estabeleça um sistema de bonificação, presentes ou alguma coisa que seja importante para os funcionários. Uma dica é homenagear os que estão completando mais tempo na empresa com coisas que realmente sejam significativas para eles, por exemplo, uma viagem, um café da manhã, uma visita em algum lugar importante.

O principal objetivo é fazer com que os seus funcionários se sintam importantes e valorizados, e isso vai muito além do salário. 

2) Treinamentos e capacitações

Mesmo que a sua empresa exija experiência e conhecimentos prévios na área, todo o profissional precisa de atualização, principalmente, se a empresa for digital e contar com processos que mudam o tempo todo.

A dica é oferecer cursos, palestras, workshops que vão muito além do trabalho e que ensinem coisas diversas aos funcionários. Assim, eles se sentirão motivados e com a sensação de estarem progredindo na empresa. 

3) Abertura para novas ideias – Programa de sugestões

É preciso estar aberto para as novas ideias que podem surgir dos funcionários, é claro que nem tudo é viável e pode não funcionar, mas é muito importante cultivar esse movimento.

Faça uma caixinha de sugestões ou até mesmo algo mais elaborado com etapas de implementação e reuniões para saber se aquela ação é viável. Nada mais motivador que saber que a sua ideia foi ouvida, aceita e contribuiu para melhorias na empresa. 

4) Organização dos canais de comunicação interna 

Estabeleça os canais que são prioridade e que podem ser acessados facilmente pelos seus funcionários. Pode ser um mural de recados, e-mail, whatsapp e quaisquer outras ferramentas já existentes e fáceis de usar.

Lembre-se sempre de ouvir a sua equipe e entender quais canais são mais rápidos e eficazes. Não adianta comunicar de 10 maneiras diferentes e todo mundo estar perdido em qual deve olhar primeiro. 

Outra dica importante é pensar na facilidade e acesso das informações, cuide também da linguagem para que possa ser acessível a todos os funcionários. 

Ficou com alguma dúvida sobre endomarketing e como aplicar na sua empresa? Entre em contato conosco, nossa equipe tem todas as ferramentas e expertise para te ajudar! 

O que é Storytelling e por que ele é tão importante?

Um termo muito utilizado por profissionais de Marketing Digital ultimamente, mas que ainda não é tão conhecida por todos é o Storytelling. Trata-se da técnica de envolver o leitor por meio de uma história para atrair a atenção, ou seja, não basta vender o produto, é preciso criar personagens e ter uma trama para que eles façam sentido e o convençam de realizar a compra. 

Existem diferentes elementos para que um texto seja escrito dessa maneira, entre os mais importantes estão:

  • Personagens – não necessariamente pessoas, podem ser animais ou objetos, mas eles precisam ter vida própria e personalidade; 
  • Enredo – é necessário uma ambientação para a história;
  • Contexto – aqui é muito importante informar e situar o leitor em que ano, década ou cenário aquela história está sendo contada; 
  • Diálogo – mesmo que seja um monólogo, ou falas implícitas, trazer diálogos para a narrativa a torna muito mais verossímil. 

A tão famosa Jornada do Herói 

Esse elemento é fundamental para construir toda a sua história, pois a partir da Jornada do Herói que você estabelecerá um começo, meio, clímax e fim; não necessariamente nesta ordem.

Também conhecida como monomito, essa estrutura foi criada em 1949  pelo antropólogo Joseph Campbell e corresponde a estrutura de storytelling mais utilizada em mitos, lendas, romances e obras narrativas. Trata-se de uma fórmula cíclica de contar histórias, na qual o protagonista supera vários desafios para se tornar um herói.

Ele categorizou todas as etapas do protagonista dentro da narrativa e publicou no livro O Herói de Mil Faces (Cultrix/Pensamento, 2004), publicado originalmente em 1949.

Ele explica sua teoria a partir dos arquétipos de Jung e forças inconscientes de Freud, que resultam nos modelos psicológicos comuns a todos os enredos épicos.

Assim, surgiu a estrutura original da jornada do herói, que se divide em 3 fases principais:

  • 1) PARTIDA/SEPARAÇÃO 
  • Mundo cotidiano: o herói começa a jornada em seu mundo comum;
  • Chamado à aventura: ele recebe um chamado para se aventurar pelo desconhecido;
  • Recusa do chamado: inicialmente, ele recusa o chamado por insegurança ou obrigações que o mantém preso ao seu mundo;
  • Encontro com o mentor: ao se comprometer com a missão, o herói se encontra com um mentor ou recebe ajuda sobrenatural;
  • Travessia do primeiro limiar: marca o momento em que o herói cruza uma fronteira para entrar de fato em um novo universo
  • Barriga da baleia: é a metáfora que representa a separação final entre o herói e seu mundo original
  • 2) DESCIDA/INICIAÇÃO 
  • Estrada de provas: é uma série de testes e provações que o herói enfrenta para se transformar;
  • Encontro com a deusa: é quando o herói ganha itens que vão ajudá-lo no futuro, geralmente de uma criatura mítica (representada, nesse caso, pela deusa);
  • A mulher como tentação: simboliza o momento em que o herói quase cai em tentação, atraído por algo prazeroso que tenta desviá-lo da missão;
  • Sintonia com o pai: é o momento em que o herói confronta o elemento ou ser que exerce maior poder sobre sua vida, representado pela figura paterna;
  • Apoteose: é o ponto de realização, em que um novo patamar de compreensão é atingido;
  • A grande conquista: representa o cumprimento do objetivo final da missão.
  • RETORNO
    • Recusa do retorno: depois da experiência da jornada, o herói vivencia um momento de resistência a retornar ao seu mundo ordinário;
    • Voo mágico: representa o voo de volta para o mundo comum;
    • Resgate interior: é quando o herói recebe apoio para voltar à sua vida normal depois da jornada;
    • Travessia do limiar de retorno: representa a capacidade de reter a sabedoria adquirida na viagem e, possivelmente, passá-la adiante;
    • Senhor de dois mundos: é o momento de encontrar o equilíbrio entre os dois mundos, geralmente representado pelo mundo material e espiritual;
    • Liberdade para viver: todo o aprendizado da jornada leva o herói a perder o medo da morte e viver em plena liberdade, concentrando-se no momento presente.

Parece muita coisa não é mesmo? Mas a verdade é que você não precisa seguir todos esses passos como uma receita de bolo para criar o storytelling do seu produto. Tudo irá depender do seu objetivo em contar aquela história e do tempo e formato que você tem para contá-la. 

  • Profissionais de Marketing de Conteúdo interpretam de forma errada

Infelizmente, os criadores de conteúdos e copywriters muitas vezes associam o storytelling como uma prática oposta à publicidade, na qual não se deve mostrar o produto ou interromper os compradores com anúncios. 

Porém, na história da publicidade temos muito storytelling inserido mostrando o  produto e isso tem um tremendo impacto na presença da marca e em vendas. Por exemplo, as histórias contadas por meio de comerciais de TV são inesquecíveis e ajudam as marcas a vender seu produto e fazer com que as pessoas lembrem da empresa. 

Então, cuidado com teorias e textos prontos, tudo vai depender de uma boa estratégia para que a sua ação dê certo! 

Dica de Leitura: Storytelling: aprenda a contar histórias com Steve Jobs, Papa Francisco, Churchill e outras lendas da liderança – Carmine Gallo.

Após a leitura desse livro você aprenderá a usar o storytelling para: – acender a chama interna das pessoas;- simplificar as coisas;- educar;- motivar as pessoas;- mobilizar. E ainda, a autora mostra exemplos concretos de várias histórias.

Lembre-se que leitura e escrita caminham juntas, então para ser um bom contador de histórias, consequentemente, escritor de storytelling é muito importante ter o hábito de leitura diariamente. 

Ficou com alguma dúvida sobre criação de conteúdo e como usamos o storytelling em nossas campanhas? Envie-nos uma mensagem! 

people-in-a-business-meeting-in-the-office-RSUN3TD

Por que eu devo contratar uma agência de publicidade?

Nós sabemos que somente estar na internet já não é mais o suficiente, não adianta estar nas redes sociais e ter um site. O ambiente digital se transforma mais e mais a cada dia e aí os gestores se deparam com a seguinte questão: montar uma equipe interna, contratar um freelancer ou terceirizar?

A Agência de Publicidade terá um time especialista nas mais diversas áreas do conhecimento como redação, designer, programação de sites e aplicativos, publicidade, relações-públicas, comercial, processos administrativos, entre outras habilidades. É óbvio que isso custará mais caro para a sua empresa, porém o resultado obtido é indiscutivelmente maior caso você optar por um só profissional. Por mais que a pessoa seja multitarefas e pró-ativa, dificilmente suprirá todas as suas necessidades. 

Para te ajudar ainda mais nessa tarefa de escolha, vamos falar de algumas ações realizadas por nós e que fazem total diferença no seu negócio:

  • Planejamento estratégico

Essa etapa é fundamental para inciar qualquer trabalho. Antes de colocar a mão na massa é muito importante que o time de planejamento entre em campo para realizar o diagnóstico, pesquisa e traçar os objetivos de marketing. 

Preste atenção em profissionais ou outras agências que já iniciam o trabalho sem antes alinhar as diretrizes e estabelecer uma linha de comunicação. Se você não sabe o que quer, não tem como saber se deu certo a estratégia, não é mesmo? Então, valorize bastante o planejamento! 

  • Experiência e qualificação 

Ao contratar a DG5 você vai contar com especialistas nas suas áreas para criar e definir as melhores estratégias com base em muita pesquisa e conhecimento. Você colocará o seu negócio nas mãos de uma empresa inteiramente dedicada a esse trabalho.

Isso é muito importante para o sucesso da sua empresa, pois cada profissional dentro da agência tem a sua função e irá contribuir para o todo. Afinal, um trabalho de marketing não se constrói sozinho, são muitas mãos envolvidas em um mesmo projeto. 

A qualidade do trabalho também ocorre em função dos profissionais da agência prestarem serviços a outras empresas. Isso permite que eles tenham uma visão abrangente do mercado, façam descobertas relevantes e apresentem melhores alternativas para o seu negócio.

  • Custo-benefício

A maioria das agências trabalha com horas, ou seja, você definirá uma quantidade de horas que serão trabalhadas e pagará por isso. Além de ser uma ótima forma de trabalho, você consegue centralizar e deixar que a agência cuide de tudo relacionado à comunicação, desde a impressão de materiais até a publicação de conteúdos em redes sociais.

Outro ponto importante de ressaltar é que estruturar um departamento de Marketing Digital, por exemplo, que é um dos núcleos de uma agência, é algo complexo e, muitas vezes, inviável para alguns negócios, visto que é um trabalho que depende de muitos profissionais e recursos.

Lembre-se também de separar uma verba para os anúncios, somente ter o auxílio dos profissionais da agência não fará milagre. Então, não vai ser um  bom texto, uma boa imagem que fará você vender, investimento também é essencial.

  • Monitoramento dos resultados 

Como dissemos na etapa do planejamento, você precisa ter um objetivo para o seu negócio e monitorá-los é fundamental para saber o que deu certo e o que precisa ser melhorado.

Mesmo que você ame números e gráficos, uma agência de publicidade tem profissionais qualificados para realizar a tarefa de coleta e interpretação dos dados, trazendo mensalmente ou semestralmente, os resultados. 

Outro fato que também deve ser colocado nessa conta é o acesso aos softwares e programas para ajudar no trabalho dos profissionais ,como os que agendam publicações, enviam e-mails, entre outras facilidades. Na maioria das vezes esses programas tem valores mais acessíveis para vários clientes, se tornando inviável para um pequeno ou médio negócio contratar por conta. 

Ainda ficou com alguma dúvida sobre o nosso trabalho ou quer conhecer mais sobre a DG5? Acesse as nossas redes sociais para ficar por dentro de tudo que acontece:

Instagram

Linkedin

Facebook

Quem é o seu público? Entenda o que é persona e porque ela é importante

Mesmo que você queira vender o seu produto ou serviço para todo mundo que se interessar, é muito importante definir quem é a persona e traçar estratégias para atrair a sua atenção e, posteriormente, converter em vendas.

Muitas vezes você quer atingir muitos públicos e acaba sem foco na sua comunicação. Afinal, uma mulher jovem, de 27 anos, formada em Medicina não consome as mesmas coisas que um homem de 45 anos, que é autônomo no ramo de representação comercial.

Uma das principais dificuldades de quem procura agências de publicidade e marketing digital é responder a clássica pergunta: quem é a minha persona? 

Continue lendo o texto que vamos explicar direitinho!

A Persona é a representação do consumidor perfeito para seu produto, o seu cliente ideal. É um personagem fictício que tem suas complexidades, gostos, hábitos, personalidade e muitos fatores que influenciam na sua decisão de compra.

  • Exemplo de Persona: Júlia tem 26 anos é psicóloga e mora com o namorado num apartamento pequeno. Ela é apaixonada por papelaria, decoração e plantas. No seu pouco tempo livre adora cuidar das suas plantas e não abre mão de anotar tudo em cadernos, planners e bloquinhos. Ela leva em conta a indicação de suas amigas e gosta de buscar referências no Instagram, Pinterest e vídeos no Youtube. 

Provavelmente a Júlia vá se interessar por marcas de caderno, canetas, mochilas, artigos para jardinagem, etc. A grande sacada é entender quem é o cliente ideal e buscar formas de conquistá-lo.

Por que tenho que ter uma persona definida em minha empresa?

Ter uma persona definida ajuda no conhecimento de seu público, e na escolha de estratégias de vendas. Sabendo para quem se dirigir e a linguagem correta, toda a comunicação será mais assertiva.

Algumas perguntas importantes para definir a sua persona:

1. Quais lugares ela/ele frequenta?

2. Em que canais a sua persona está? No Twitter, no Instagram ou no Facebook? 

3. Compra mais em e-commerce ou loja física?

4. Ela abre e-mails ou gosta da praticidade do Whatsapp? 

5. Quais são seus gostos?

6. Qual a sua profissão e hobbies? 

Esses são alguns exemplos para você começar a definir quem é a sua persona e o que vale a pena investir para atraí-la. O importante é entender as prioridades e necessidades do seu cliente, pois somente assim você será possível melhorar a experiência de compra e até mesmo fazer upgrades em seus produtos. 

Não devemos levar em conta apenas os nossos gostos pessoais. Por exemplo, se você não gosta de assistir BBB ou ouvir rádio, não significa que a sua persona também não goste. Por isso, é muito importante a definição dos canais de comunicação, e ninguém melhor que uma agência de comunicação para ajudar você nessa tarefa. Um especialista na área conseguirá traçar um planejamento de mídia, uma linha de comunicação visual e textual que trará resultados positivos. Se precisar de alguma ajuda ou tiver dúvidas entre em contato conosco.

Conversas que marcam: a importância do SAC

Ao traçar os objetivos de qualquer negócio, é muito importante ter em mente que o pós-vendas deve ser acessível, rápido e dinâmico. Convenhamos, quando adquirimos um serviço ou compramos algum produto, ninguém quer ficar preenchendo vários formulários e aguardar mais de uma semana para resolver o problema. 

O SAC, Serviço de Atendimento ao Consumidor, serve como um apoio ao cliente, um local (pode ser no site, Whatsapp ou e-mail) que vai resolver as dores da pessoa e esclarecer todas as dúvidas. Ele tem uma importância estratégica, pois além de ouvir e resolver os problemas, é possível identificar e analisar diversas oportunidades de melhoria.

Por que devo ter um bom SAC na minha empresa?

Não é só em loja física que o público precisa de um atendimento mais personalizado. No e-commerce o cliente também pode precisar de orientações sobre prazos de entrega, formas de pagamento, rastreamento dos pacotes, etc. Por isso, ter um setor especialmente orientado e focado em proporcionar o melhor atendimento é essencial. 

Confira algumas vantagens de investir em um bom SAC:

  • Destaque-se da concorrência

Ter uma cultura com foco no cliente é a preocupação de muitas empresas de sucesso, mas, infelizmente, ainda não é a realidade do mercado. Ao adotar uma estratégia de SAC, a sua empresa será destaque frente aos concorrentes, e além disso, você notará diversas oportunidades de melhorias nos serviços e produtos.

Simplesmente, ouça o seu cliente e identifique o que pode e deve ser mudado para oferecer a melhor experiência.

  • Fidelização do seu cliente

Ter um atendimento humanizado e com foco em ouvir os clientes é uma dica preciosa para atingir o sucesso da sua marca. Quando o público se sente acolhido é muito mais fácil fortalecer o vínculo e fazer com que ele indique o seu produto ou serviço para mais pessoas.

  • Proximidade com o cliente

Fale a língua do seu público. Se o seu produto é voltado aos jovens, fale a linguagem deles, use as gírias e memes das redes sociais do momento. 

Porém, se a sua marca é séria e trata de assuntos importantes, como uma clínica médica, por exemplo, algumas piadas ou brincadeiras podem soar mal e até mesmo ofender alguém. O bom senso sempre é a melhor saída. 

  • Boa reputação

Principalmente quando se trata de e-commerce, as avaliações são essenciais para ditar o que será comprado ou não. Por isso, ter um serviço de SAC comprometido em resolver os problemas irá aumentar o número de avaliações positivas. 

Cuide também dos comentários em redes sociais e nas avaliações do site, pois os comentários positivos são ótimos para criar uma boa reputação no mercado.

Dê uma atenção especial ao Reclame Aqui, plataforma de reclamações oficial e mais acessada pelo público. 

Problemas sempre vão existir, mas o diferencial do seu negócio fica por conta de como você consegue resolvê-los. Mesmo que o seu produto ou serviço tenha apresentado algum defeito ou problema, com o suporte correto, de maneira rápida e atenciosa, o seu público irá ter uma experiência considerada positiva, pois tudo foi resolvido.

Quando o cliente for indicar a sua empresa, terá na memória a solução rápida e o bom atendimento que recebeu.

Quer ficar por dentro de conteúdos sobre Marketing Digital, Vendas, Redes Sociais e muito mais? Assine a nossa newsletter!

O que é ROI e por que ele é tão importante?

Certamente você já deve ter ouvido falar nessas três letrinhas tão importantes: ROI. Elas significam Retorno sobre o investimento do inglês, return on investment, uma métrica usada para saber quanto a empresa ganhou com investimentos, principalmente na área de Marketing. 

Sabendo qual o seu ROI, é possível planejar metas e traçar novos objetivos baseados em resultados tangíveis. A partir disso, você consegue entender se está valendo a pena ou não investir em determinados canais. Nada mais é que um indicador que fornece o resultado final de cada ação ou campanha, além de mensurar o custo com novas ferramentas e treinamentos para a área. 

Nada de achismos, você precisa saber o que dá resultado e o que não te leva a nada!

Ninguém gosta de gastar dinheiro atoa, ainda mais sem saber se a estratégia realmente deu certo e no que você precisa melhorar. Por isso, o ROI é a métrica certa para você entender melhor o que está acontecendo com o seu plano de marketing.

Como faço para calcular o ROI? 

Primeiro, é preciso levantar a receita total, subtrair dela os custos e dividir esse resultado também pelos custos. Vamos para praticar?

Exemplo: o ganho da sua empresa foi de 200 mil reais e o investimento inicial tenha sido de 20 mil. Utilizando a fórmula de ROI acima, temos:

  • ROI = (200.000 – 20.000) / 20.000
  • ROI = 9

Aqui nesse exemplo o ROI foi de 9 vezes o investimento inicial, ou seja, o retorno foi de 9 vezes o que investiu e, por isso, a ação que você realizou deu resultado positivo. 

  • Benefícios de calcular o ROI

Para deixar ainda mais palpável os benefícios de saber e monitorar o ROI da sua empresa fizemos uma lista:

– Rastreabilidade de ações

– Controle de métricas e indicativos

– Previsibilidade de erros e prejuízos

– Demonstra organização e visão empreendedora

– Aplicação correta do investimento

– Ações de comunicação mais assertivas
Ficou com alguma dúvida? Envie sua mensagem, será um prazer continuar essa conversa pelo nosso site!

Descubra as redes sociais que estão em alta em 2021

Um dos principais erros de quem está começando no marketing digital é querer estar em todas as redes sociais e participar de tudo que está acontecendo no mundo virtual.

Antes de criar um perfil nas redes que estão em alta é preciso ter uma estratégia digital, afinal hoje já não é mais um diferencial, mas uma necessidade.

Um estudo realizado pela plataforma Hootsuite ressalta a importância de criar soluções digitais e contemplar esse público que está na internet em busca de entretenimento, produtos e serviços.  Confira alguns dados importantes:

  •  Quase dois terços da população mundial tem celular;
  •  Mais de metade do tráfego da web mundial vem de telefones celulares;
  •  Uma em cada cinco pessoas no mundo efetuou uma compra online nos últimos 30 dias.

Levando em conta esses dados, é óbvio que você precisa estar presente nas redes sociais, mas é preciso muita cautela e estudo para atingir o seu público. Não é só porque estar nas redes sociais é fácil e rápido que devemos sair por aí criando contas em tudo quanto é lugar. 

Passo 1 – Quem é a sua persona?

Entenda quais os hábitos do seu cliente ideal. Ele gosta de publicar fotos no Instagram? Prefere ver vídeos no TikTok ou ainda prefere os grupos do Facebook?

Não existe certo ou errado, mas apenas hábitos de consumo e de comportamento que serão muito importantes para nortear as suas estratégias. 

Passo 2 – Ação: Quais redes sociais eu devo estar? 

Segundo estudo realizado pelo Social Media Research Summary, as redes sociais mais acessadas hoje, por ordem de usuários ativos, são:

  •  Facebook – 1,8 bi
  •  Whatsapp – 1 bi
  •  Facebook Messenger – 1 bi
  •  Twitter – 317 mi
  •  Pinterest – 150 mi
  •  Linkedin – 106 mi

Cada rede social funciona de forma diferente, por exemplo, o Whatsapp é mais utilizado para mensagens rápidas e comunicação direta com o cliente, é recomendado para lojas online, atendimentos personalizados e serviço de SAC.

Já o Instagram é muito utilizado como vitrine, mostruário de produtos, é a rede social que te dá a chance de mostrar o seu produto com imagens produzidas e deslumbrantes. 

O Facebook, por sua vez, ainda detém um grande número de usuários que gostam de textos mais longos, vídeos e muitas imagens para compartilhar com os amigos. Geralmente, quem está nessa rede social gosta de conversar e comentar nos posts das empresas.

Passo 3 – Planejar os conteúdos

Mesmo que tudo pareça instantâneo no Twitter, e as fotos do Instagram sejam feitas no celular, tudo precisa ser planejado. Defina o seu tom de voz, se quer ser mais informal ou o seu negócio precisa de uma linguagem mais formal; que tipo de imagens serão usadas; quais conteúdos são interessantes para o seu público. 

 Passo 4: Geração de conteúdo 

Depois de analisar, aprender sobre cada rede social e quais delas vão se encaixar melhor na sua empresa é só começar a gerar conteúdo. É aí que entra o trabalho de uma agência de publicidade ou de um social media. Tenha em mente que você terá que escrever o conteúdo, cuidando as regras de português, criar as imagens ou fotografar, publicar e monitorar essas publicações, além de responder as perguntas nos posts e chat. Caso você se ache apto para fazer todas essas tarefas, ótimo! Mas é sempre bom pedir ajuda a quem entende do assunto. 

DG5: Soluções em Publicidade, Comunicação e Web

Ficou com alguma dúvida sobre o conteúdo do texto ou quer ajuda com a criação de estratégias digitais? Entre em contato conosco! 

Fontes:  Blog Content Tools 

Blog Resultados Digitais 

We are social

Marketing de influência: um guia de como usar essa ferramenta a seu favor

É natural buscarmos indicações e levarmos em conta a opinião de amigos e pessoas próximas a nós na hora de efetuar uma compra, assinar um serviço ou iniciar um curso, por exemplo. O marketing de influência funciona exatamente dessa maneira.

Explicando o conceito: Marketing de Influência, ou Influencer Marketing, é uma estratégia de marketing digital que envolve produtores de conteúdo que exercem influência sobre grandes públicos. Ou seja, eles desempenham um papel de grande convencimento na tomada de decisões de compra daqueles que os seguem.

Se a sua loja é nova ou não é muito conhecida, o marketing de influência pode ser uma ótima opção para aumentar o engajamento e consequentemente, aumentar as vendas e novas indicações do seu produto.

Por meio dessa identificação do público com o influenciador, as marcas encontram uma oportunidade de estabelecer parcerias com eles para que utilizem, apresentem e divulguem seus produtos e serviços. Exemplo: Você pode oferecer um kit com seus produtos e o influencer irá testá-los e dizer seu parecer sobre o que mais gostou, o que poderia melhorar e por que indica a sua marca.

  • Quem são os influencers? E quem eu devo escolher?

Os influencers ou influenciadores digitais são pessoas ativas nas redes sociais e que possuem um grande volume de pessoas engajadas com seu conteúdo e alto poder de influência sobre elas. Veja bem, o número de seguidores pode até ser alto, mas você deve observar se as pessoas comentam, compartilham e são influenciadas por aquela determinada pessoa. 

Existem influenciadores dos mais variados segmentos, como: moda, decoração, dicas de casa, empreendedorismo, estética, educação, entre outros. É muito importante que o influencer escolhido esteja de acordo com a sua marca e o que você vende.

Por exemplo, de nada adianta você fazer parceria com o ex-jogador de Tênis Guga e o seu serviço é sobre estética feminina; ou a influencer ser a Maísa e o seu produto for aparelhos auditivos e equipamentos para idosos. Claro que nada é proibido, mas é fundamental ajustar o influenciador com a imagem da marca e o que ela quer passar. 

Dica: pessoas comuns geram empatia e credibilidade

Todos nós já seguimos blogueiras que mostram a vida perfeita, corpos sarados, closet cheio de bolsas e sapatos que são o desejo de todo mundo. Porém, essa não é a realidade da maioria dos brasileiros. 

Por isso, é muito importante gerar uma identificação do influencer com o público. Por exemplo, se você vende xampu para cabelos crespos, é muito importante que a influenciadora tenha esse tipo de fio. Se você quer comprar uma máquina de barbear, é muito importante que alguém que realmente faça a barba esteja mostrando o produto. 

Para que a escolha do influencer seja a mais assertiva possível indicamos que você procure uma agência de publicidade, pois ela tem papel importante nessa relação entre marcas e influencers. Somente uma equipe especializada conseguirá realizar o diagnóstico do que a sua marca precisa e quem se adequa mais ao perfil dos seus seguidores. 

Fale com o nosso atendimento e comece agora mesmo a traçar a sua estratégia de Marketing de Influência!

O que é e por que preciso de um especialista em SEO?

Quando pensamos em uma boa estratégia de Marketing Digital, jamais podemos esquecer de uma ferramenta primordial: o SEO. Primeiramente, vamos falar sobre o que é isso, uma sigla tão conhecida e tão estimada, mas que muita gente não faz ideia do que ela significa. Vamos lá!

SEO ou Search Engine Optimization, em português, quer dizer otimização de ferramentas de buscas, ou seja, significa melhorar os conteúdos, páginas e sites para que os motores de buscas encontrem você mais rapidamente. Em outras palavras, servem para que você fique em primeiro lugar no ranking de busca, como o Google ou Bing. 

  • Importância do especialista em SEO

Esse trabalho vai muito além de colocar muitas palavras-chaves nos textos, existe uma série de detalhes que fazem toda a diferença para que o seu site fique bem posicionado nos motores de busca. 

Com mais pessoas interessadas no que você tem para oferecer chegando ao seu site e conteúdos, a tendência é aumentar as conversões. Aqui não se trata somente de vendas de produtos, mas qualquer ação desejada, seja mais leads, presença de marca ou aumentar o engajamento.

É aí que entra a participação do profissional especialista em SEO, ele que vai garantir mais tráfego e visibilidade, além de traçar estratégias de Inbound Marketing. Mesmo que você queira fazer tudo isso por conta, nós recomendamos que você contrate um especialista em SEO, pois ele sabe exatamente como fazer isso acontecer por meio de estratégias eficazes.

  • O que devo observar nesse profissional?

Atualmente, muita gente faz um curso online de 4 horas e se intitula especialista em SEO, porém você deve ficar atento para saber selecionar o melhor profissional para atingir os seus objetivos. Sabemos que não é necessário ter ensino superior na função, mas simplesmente entender de Marketing Tradicional e adaptá-lo para a internet não é o suficiente para esse cargo.

Nós selecionamos as principais competências de um bom SEO:

– Conhecimento técnico sobre algoritmo do Google, Inbound Marketing, uso de palavras-chaves

– Entender de Marketing de Conteúdo 

– Domínio da língua portuguesa ou língua que o seu produto abrange 

– Experiência na área 

– Aberto a novos conhecimentos e muita vontade de aprender

Entre as principais funções do profissional de SEO está traçar planejamentos que irão dar resultados positivos para a empresa. Mas, acima de tudo, é preciso que ele realize o monitoramento dessas ações, pois somente assim, será possível avaliar o que deu certo e o que ainda pode melhorar.

Quanto ao valor de contratação desse profissional, você precisa fazer uma pesquisa de mercado e saber quanto você quer investir em estratégias de posicionamento. Por exemplo, se você quer investir R$1.000 em mídias e estratégia, o seu profissional deve receber o dobro para fazer esse trabalho de planejamento e monitoramento das estratégias. 

Cuidado com profissionais que cobram muito barato, pois eles podem estar mascarando os verdadeiros resultados! 

Segundo estudo realizado pela Glassdoor, agência que analisa cargos e salários ao redor do mundo, o salário médio do especialista em SEO é de R$5.566,00 mensais. Esse valor pode variar dependendo da qualificação do profissional e região de trabalho. Mas ainda assim é uma base do que custa um profissional desse gabarito. 

Você pode contratar um SEO para trabalhar dentro da sua empresa ou também pode optar por contratar uma agência especializada em Marketing Digital. 

Na DG5 você encontra especialistas em SEO! 

Nós contamos com a larga experiência de especialistas em SEO que fazem o seu negócio prosperar e gerar mais conversões. Fale com um de nossos consultores para entender melhor como funciona o nosso serviço!