7 dicas para fazer boas fotos para mídias sociais com o celular

Criar conteúdo para as mídias sociais é uma forma de permanecer em contato (e conectado) com o público, principalmente diante de um cenário em transformação como o atual.

Para que este conteúdo seja atraente e efetivo é importante inovar e trazer relevância. Não se preocupe com grandes estruturas e equipamentos de ponta – muitas vezes o que você já tem é o necessário.

Veja só: Grande parte dos smartphones podem produzir fotos com qualidade suficiente para publicações nas mídias sociais, sem mencionar o quão pratico é. Embora a entrega não seja comparável ao material produzido profissionalmente, existem várias maneiras fáceis de elevar as fotos captadas por dispositivos móveis.

Aqui estão cinco dicas para você fazer fotos com o celular e aprimorar suas publicações no Instagram, Facebook, Pinterest e outras redes. Confira!

1. Cuidado com a lente da câmera.

Toda boa foto de mídia social começa com uma lente de câmera limpa. Antes de tirar fotos, abra o aplicativo da câmera e tire algumas fotos de teste para confirmar que está tudo ok. Limpar o vidro sempre que você planeja tirar uma foto também pode trazer maior clareza da captação.

2. Considere usar um suporte.

Todos sabemos o quanto uma mão trêmula pode transformar uma foto potencialmente boa em um desastre. Embora seja possível estabilizar a câmera usando uma montagem improvisada, sua melhor aposta para uma foto estável é um tripé ou um suporte profissional para o telefone.

Normalmente, eles são fáceis de encontrar na Amazon, Mercado Livre ou sites chinese, por exemplo, e podem melhorar significativamente a qualidade das suas fotos. Caso não seja um material que você possa adquirir no momento, tente manter os cotovelos perto do corpo enquanto tira a foto, e os pés afastados na largura dos ombros. Essa tática pode auxiliar no equilíbrio e evita tremedeiras.

3. Use o recurso timer.

Sempre que possível, use a câmera na parte traseira do telefone e não a câmera frontal (selfie) pois a qualidade é muito superior. Se pretende fazer um vídeo ou foto em que aparece, apoie seu telefone onde fique estável – ou use seu tripé – e ative o recurso de tempo no aplicativo da câmera.

Outra opção que vale a pena considerar é o controle remoto bluetooth que auxilia nos cliques sem precisar tocar no aparelho

4. Iluminação importa. E muito!

Pode ser difícil obter a iluminação certa fora de um estúdio, mas com alguns ajustes, é totalmente possível obter uma foto bem iluminada. Se possível, use e abuse da luz natural do sol. Alguns truques profissionais incluem aproveitar a “hora de ouro”, que é a primeira hora após o nascer do sol e a última hora de luz antes do pôr do sol.

Evite usar o flash, pois ele propicia imagens planas. Se possível, tenha um anel de luz (ringlight) que permite uma excelente iluminação, independentemente da hora do dia.

5. Ative as linhas de grade.

Esse recurso utiliza “a regra dos terços”, uma teoria que sugere que o ponto focal de qualquer foto deve ser ajustado entre essas linhas, tendo como resultado uma imagem mais equilibrada. 

A ativação do recurso de linhas de grade pode ser feita facilmente através das configurações do aplicativo e desativada a qualquer momento.

6. Evite o zoom manual nas fotos.

Pode ser tentador ampliar o zoom em suas fotos para ter uma visão mais detalhada, mas isso diminui drasticamente sua qualidade.

Existem algumas alternativas fáceis que podem solucionar este problema: Aproxime-se do objeto ou cenário pretendido ao clique ou use a ferramenta de corte depois.

7. Edite as fotos, mas sem exagerar.

Existem inúmeros aplicativos que podem facilitar a edição, mesmo que você não tenha experiência com edição de fotos: Adobe Lightroom, VSCO e SNOW são apenas alguns que oferecem edição fácil e gratuita.

Alguns outros apps podem ser tão úteis quanto: Unfold, InShot, Filmm e CANVA. Estes permitem edição com templates, figuras e efeitos para fotos e vídeos. Já o ColorStory, por exemplo, dá um preview do grid do Instagram, permitindo um teste de composição.

Mas é preciso cautela e dosagem certa para não exagerar na edição e tornar as publicações em spam visual ou paisagem. Pessoas reais gostam de coisas reais. Lembre-se: o diferencial da sua marca a torna mais acessível e autêntica, essa moeda é a que você deve abusar.

3 erros que você pode estar cometendo na estratégia de anúncios

Só porque todo mundo está aproveitando o momento atual para anunciar nas redes sociais não significa que isso deva ser feito às pressas. É exatamente pelo fato de muita gente estar anunciando que você precisa se planejar.

Primeiro, familiarize-se com estratégias que garantam que seus gastos com anúncios sejam bem-sucedidos. Não crie um anúncio que facilmente seja ignorado entre tantas outras mensagens online. 

Uma das melhores maneiras de garantir que sua estratégia seja sólida é saber o que não fazer. A seguir, separamos três dos erros mais comuns que empresas cometem na estratégia de anúncios nas redes sociais. Confira (e evite-os).

Investir o orçamento total sem testar o público

Geralmente, quando uma empresa decide investir em anúncios nas redes sociais, cria sua segmentação por público-alvo com base no que já conhece sobre seus consumidores. Qual é o problema, afinal? Por mais completos que sejam os dados sobre faixa etária, localização geográfica, gênero e interesses do consumidor, o público online nem sempre é o mesmo e, por isso, o teste de audiência é imprescindível para anúncios digitais.

Muitas empresas acreditam que já sabem como direcionar seu público-alvo para ter maior retorno do investimento e investem a maior parte do orçamento destinado a anúncios antecipadamente, em busca de resultados rápidos.

O Facebook, por exemplo, facilita a localização do seu público-alvo ideal com um recurso de teste A/B que permite dividir o teste em até cinco anúncios de uma só vez. Agora, se você estiver criando anúncios no LinkedIn, Twitter, TikTok ou Pinterest, inicie um pequeno orçamento de teste com base em um palpite fundamentado e ajuste de acordo. Mantenha o anúncio consistente, alterando os principais fatores do público, analise e aí sim, invista pesado.

Perder conversões por causa de comentários negativos

Já dizia o ditado: “Quem está na chuva é para se molhar”. Os anúncios nas redes sociais também estão expostos a possibilidade de comentários negativos. Pode ser um ex-cliente insatisfeito ou alguém que simplesmente não gostou do anúncio, a grande questão aqui é que comentários negativos descredibilizam a sua mensagem.

Pense nisso: se ao ver um anúncio de um produto em que você tem um grau de interesse, com um comentário negativo falando que o produto não funciona ou que a experiência do consumidor foi ruim, provavelmente você desistiria da compra, não é?

Para resolver isso, é interessante dispor de um social media, profissional responsável pelo gerenciamento das redes, que esteja preparado para situações de risco. Outra ferramenta fundamental são os robôs de conversação, que são programados para responder automaticamente os usuários, reduzindo assim incidências de mensagens não respondidas, por exemplo.

Não ter um plano de ação eficiente

O objetivo final de um anúncio sempre será estimular uma ação. Para impulsionar essa reação do cliente em potencial, é necessário que você seja claro na sua mensagem, levando-o a agir: “Compre!” “Assine nossa newsletter!” “Siga nosso perfil!”

Cerca de 13% dos usuários em redes sociais sentem-se mais estimulados a comprar algo quando se deparam com o botão “compre agora” no anúncio. A regra é simples: Não dificulte quando você pode facilitar a tomada de ação do seu cliente potencial.

_

GOT x Comunicação x Design Thinking: o que tem a ver?

*Se você não viu GOT (e pretende assistir), sugerimos que pare de ler aqui!*

O final da série Game Of Thrones dividiu opiniões entre seus fãs. Mas não é este o ponto, a questão é que a narrativa traz discussões bastante interessantes em diversos aspectos, principalmente na Comunicação. 🐉

A história da série permeia objetivos de crescimento, planejamentos e disputas com concorrentes ao tão desejado Trono de Ferro. Também fala a respeito de gestão de conflitos e estratégias – mesmo passando em tempos remotos, as narrativas se tornam bastante atuais. 

Em questão de Design Thinking (e também em comunicação e publicidade em geral), é preciso EMPATIA, colocar-se no lugar do outro (seja cliente, público-alvo, sócios e colegas) a fim de obter um negócio e resultados de sucesso. Comunicação se faz com pessoas e PARA pessoas. Um exemplo disso é a personagem Daenerys Targaryen, a qual cria um laço forte de empatia com o povo do seu esposo, Khal Drogo, ganhando, assim, lealdade e confiança entre eles. 

A grande questão é: internalizar os sentimentos dos outros faz com que possamos entender com clareza na hora de comunicar.

Escolha suas batalhas: em certas partes da série, podemos observar a união dos reinos por um bem comum: a conquista do Trono de Ferro. E em comunicação, como fica? Escolha quais ferramentas usar para alcançar os objetivos. Atue como um líder e, diferente de GOT, nada de trapaças! 

Criatividade e soluções: já parou para contar quantas vezes Tyrion Lannister quase “bateu as botas” em diversos episódios? Independente da situação (esperamos que sejam mais leves do que as que Tyrion estava envolvido), ele sempre acha uma maneira de desviar do perigo. Ou seja, por mais que planejamentos e ideias estejam no papel, nem sempre o que está no papel sai como esperado. 

E você que é da área, já assistiu a série? 

Como o marketing pode salvar do naufrágio

Existem regras simples no marketing que proporcionam inúmeros benefícios no relacionamento de empresas e seus respectivos públicos. Esses macetes costumam ser ignorados por empresas que estão no Facebook, Twitter e LinkedIn e, que muitas vezes, tem esses canais como suas principais fontes de comunicação.

Não importa em quantas redes sociais a sua empresa está, existem regras básicas que você precisa entender para ter sucesso, desde que sejam compreendidas, praticadas, gerenciadas e aplicadas de forma correta, regular e eficiente.

Confira!

1. Sempre haverá uma oferta

Existe um ditado popular por aí de que conteúdo é rei. Porém, quando se trata do marketing digital, lidamos com dois reinos diferentes, porém essenciais. Afinal, a venda também é rei. 

Um bom marketing de mídia social precisa mostrar uma oferta, informando aos seus possíveis clientes exatamente o que podem fazer e por que eles deveriam comprar agora. A maneira como você pode fazer isso vai depender de quem é o seu público e vem acompanhada de uma mensagem irresistível, sensível, experiencial ou atrativa de alguma forma.

Em outras palavras, seu conteúdo e sua oferta precisam reinar digitalmente. A audiência não pensa muito antes de decidir comprar de você ou consumir o seu conteúdo, afinal, você é rei.

2. Haverá uma razão para começar agora

No marketing e na comunicação tudo muda muito rápido, já que eles são moldados por vários fatores locais, globais, culturais, econômicos e históricos. É como a vida.

Diante de qualquer situação existe uma boa razão para não parar bruscamente, adiar ou ponderar. Deve haver urgência em começar a fazer.

3. As instruções são claras

A maioria das pessoas faz um bom trabalho seguindo instruções e está bem condicionada desde a infância, em diversas situações, a fazer o que lhes é pedido.

Por isso, lembre-se de algo fundamental: Consumidores confusos ou incertos não fazem decisões. Pessoas raramente compram algo como consequência de uma mensagem vazia, sem ajudas ou soluções.

Para fazer com que a sua audiência clique na newsletter e acompanhe até o final, assim como para conseguir efetuar uma venda, é necessário orientar o cliente em potencial pelas etapas desejadas até que ele execute o planejado. 

4. Mensuração de dados é importante

Se você deseja obter lucros reais a partir do marketing, é necessário que todos os investimentos em publicidade, marketing ou vendas sejam rastreados e mensurados para refletirem dados precisos.

É a partir destes números que você saberá filtrar sua audiência, quem está motivado a comprar suas soluções, onde vale à pena investir mais e em que parte do negócio podem ser feitos ajustes.

5. Relacione-se com os interessados

As pessoas leem seu anúncio, recebem sua carta, vêem sua placa, encontram sua empresa online, ligam ou visitam seu local de trabalho, fazem perguntas à recepcionista ou à equipe e é isso — fim. Não são registrados nomes, telefones ou o endereço de e-mail do cliente em potencial. Bem, isso é um desperdício de leads.

Quanto você está desperdiçando em seus negócios? Provavelmente muito. Ao investir em publicidade e marketing, você não paga apenas pelos clientes que recebe. Perder oportunidades simples coloca em risco toda a rede de comunicação que foi criada em torno da marca.

No final do dia, no final de uma campanha, no final de um período de turbulência, apenas os resultados são importantes.

Como conquistar mais seguidores

Um dos marcos mais significativos que um negócio online pode alcançar é atingir um grande número de seguidores. Quanto mais pessoas prestam atenção em você, maior o seu potencial para influenciar no seu campo, gerar engajamento e converter mais vendas.

Atualmente o Instagram é uma das principais plataformas gerar buzz e se conectar com a audiência. Plataformas como YouTube e Facebook ainda detém grande parte dos públicos, enquanto Twitter, LinkedIn e TikTok atendem a públicos bem específicos.

Mas como é possível aumentar o número de seguidores de forma limpa, sem o suporte de plataformas que compram estes números? Felizmente, com a estratégia certa, mentalidade e ética de trabalho consistente é possível crescer, aparecer e conquistar uma legião de fãs.

1. Use as hashtags certas

Esse é um dos elementos mais importantes para quem deseja atrair novos seguidores. Seja no Instagram, Twitter ou outra plataforma, as hashtags são a principal maneira pela qual novos seguidores em potencial podem encontrar o seu conteúdo. Mas você deve estar se perguntando: quais são as hashtags corretas?

As hashtags precisam atender a dois requisitos: primeiro, ser relevante para o seu conteúdo e, segundo, pertencer à categoria “trend” ou ser popular. Criar postagens regulares é uma maneira de fazer isso direito – comentando tópicos atuais ou postando imagens de acordo com as tendências do momento. Pesquise as hashtags mais utilizadas em cada segmento e utilize-as dentro do seu conteúdo.

O que não fazer: Não use hashtags irrelevantes para o tópico que você está tratando. Tampouco, utilize mais de 4-5 por publicações. Você pode me perguntar agora “mas por quê?” e eu te respondo: O Instagram e o Twitter, por exemplo, podem bani-lo por utilizar muitas hashtags. Então, utilize-as com sabedoria.

2. Siga e interaja com outros usuários

Mesmo trabalhando na criação de sua própria base de seguidores, você também deve seguir outras pessoas com interesses, conteúdo e audiência semelhante. Isso torna parte de uma comunidade e facilita a localização do seu público-alvo.

Se você quer ter um grande número de seguidores nas mídias sociais, precisa pesquisar seus concorrentes diretos – ou pelo menos perfis e páginas que possuem semelhanças com a sua. Interaja com a comunidade o máximo possível para divulgar sua marca e gerar interesse em sua conta.

Aliás, comentar as publicações de seus concorrentes diretos é uma das melhores maneiras de direcionar tráfego para seu próprio perfil. Eventualmente, novos visitantes chegarão até você e, se seu conteúdo for atraente o suficiente, pelo menos alguns deles se tornarão seguidores.

3. Publique conteúdo de qualidade regularmente

Gere conteúdo que as pessoas sintam faltam de ler/ ver. Não seja mais um a jogar spam na linha do tempo de outras pessoas, com publicações vazias e sem sentido. Mostre nas redes sociais um conteúdo rico, original e compartilhável. Seja consistente e regular.

4. Publique seu conteúdo no momento certo

Analise os dados que as suas redes geram e utilize-os a seu favor. Seu público-alvo pode ter hábitos e preferências de consumo que beneficiam quando, como e o quê você vai publicar.

Algumas ferramentas (gratuitas e pagas) podem fornecer informações sobre o envolvimento com suas postagens. Vale à pena contratar o serviço, caso você possa.

5. Siga quem está seguindo seus concorrentes

Digamos que você é da área de fotografia urbana em preto e branco. Como seria a maneira mais rápida e fácil de você encontrar potenciais consumidores do seu conteúdo? Você provavelmente pensou nos seguidores de um concorrente, certo?

Encontre perfis semelhantes aos seus com muitos seguidores ou encontre perfis com a audiência que você gostaria de ter para sua marca. No caso hipotético, os seguidores estão claramente interessados ​​na fotografia urbana em preto e branco e a chance deles gostarem do seu trabalho é grande. Siga cada um deles.

6. Use ferramentas de insights e análises

Um dos elementos-chave de uma estratégia bem-sucedida de mídia social é eliminar as suposições do processo. Felizmente, existem ferramentas e recursos úteis que podem ajudá-lo a obter informações confiáveis ​​sobre seu público-alvo, concorrência e desempenho de suas publicações.

Como vimos em um ponto anterior, obter a análise correta dos dados pode facilitar muito na sua criação de abordagens e no seu crescimento nas redes sociais. Aproveite as plataformas que oferecem avaliações gratuitas e experimente cada uma delas antes de se comprometer com uma assinatura.

4 motivos para você ler mais

Quando você pensa em sucesso empresarial, pode não pensar imediatamente na influência dos livros. No entanto, manter um cronograma de leitura e manter-se atualizado sobre as tendências pode ser uma grande vantagem para a sua empresa e para você.

Alguns dos líderes mais respeitados do mundo, como Bill Gates, Mark Zuckerberg e Warren Buffett, dedicam grande parte de seu tempo à leitura. Por quê?

1. Você pode encontrar respostas para problemas

Você já deve ter percebido que na ficção nenhuma história é 100% original. Nos negócios, nenhum problema ou desafio também é plenamente original. O que isso significa? Provavelmente, qualquer problema que você venha a enfrentar como empreendedor já foi contornado alguma vez por outra pessoa. A leitura, por exemplo, pode ajudar você a encontrar soluções inovadoras para esses problemas antes que eles possam prejudicar o seu percurso.

2. Ajuda a enxergar oportunidades

Quanto mais você lê, mais informações você retém para si. Quanto mais informações você conseguir captar, melhor será a sua capacidade para conectar pontos e descobrir padrões. Você pode aprender observando como outras pessoas exploraram oportunidades em outros negócios e adaptar para dentro da sua empresa.

3. Ajuda a fazer escolhas mais assertivas

Como vimos há pouco, nenhum problema ou desafio é realmente único. Enquanto você está lidando com um problema específico ou tiver dúvidas gerais sobre como gerir seus negócios, a leitura poderá ajudá-lo a tomar decisões mais eficientes.

4. Propicia a criatividade

A inovação é crucial para qualquer negócio. Se você não pode inovar, não pode crescer e, às vezes, a inovação exige alguma criatividade. A leitura pode inspirá-lo e ajudá-lo a encontrar e desenvolver a parte criativa do seu cérebro. 

E aí, qual vai ser a leitura que você vai escolher pra começar a praticar?

5 maneiras de reinventar sua estratégia de marketing digital

Existe uma vantagem em tempos de adversidade que é a oportunidade para mudar, evoluir e se adaptar.

Seja você um indivíduo, empresário ou marca, é este o momento para reavaliar, repensar e reinventar a sua abordagem. Enquanto influenciadores, bilionários e corporações estão se unindo para ajudar quem precisa, as marcas precisam sustentar as atividades de negócios e, simultaneamente, encontrar meios de estender soluções a outras pessoas.

Enumeramos cinco maneiras de como as marcas podem repensar sua estratégia online e fazer ofertas relevantes à medida que todos voltamos nosso foco para a recuperação dos negócios, economia e a vida em si.

Pense digital, seja digital.

Com as pessoas gastando muito mais tempo nas plataformas de mídia social, as marcas precisam mudar o foco para suas operações digitais e procurar maneiras eficazes de se conectar, interagir e fazer transações com seu público. 

A dica é produzir conteúdos ricos que visam o fortalecimento da sua presença digital para sustentar operações. Se é possível, aproveite as vantagens do comércio eletrônico e, também, ofereça incentivos especiais.

Não seja sentimentalista, seja empático.

Sabemos o quão delicada é a situação atual para inúmeras pessoas, sejam elas empresários, empregados, donos de comércio local ou empregadores em uma empresa de médio porte. Esse é o momento de pensar fora da caixa e encontrar soluções para ajudar o próximo.

Para as marcas, é uma oportunidade única de criar idéias inovadoras que lhes permitam avançar e fazer a diferença. Ser ganancioso ou insensível durante tempos de conflito pode ser um tiro no pé. Entretanto, mostrar um nível de compaixão e abnegação pode ajudar a construir a lealdade do cliente a longo prazo.

Reveja o que está oferecendo. É a hora!

Durante uma crise global de saúde (e econômica), é provável que haja mudanças rápidas no comportamento do consumidor e na dinâmica do mercado. É essencial monitorar a comunicação da marca o tempo todo e adaptar-se rapidamente às novas circunstâncias. 

Ser oportuno e entender a importância de como as condições do mercado e outras mudanças podem afetar a relevância do seu produto é imprescindível.

Apoie uma causa.

Embora os negócios possam estar lentos no momento, eles oferecem às marcas a oportunidade de alcançar seu público digitalmente e iniciar conversas novas e significativas. Entenda o que os clientes esperam de você como marca e como essa solução pode ser entregue.

As pessoas gostam de ser filiadas a projetos que acham que estão fazendo a diferença. O empreendedorismo social pode ser uma chave-mestra para o seu negócio, pois aumenta drasticamente a confiança do consumidor em sua marca.

Seja um solucionador de problemas.

É essencial comunicar com frequência e eficácia como sua marca está ajudando os consumidores a enfrentar desafios. 

Um exemplo na prática é a forma como restaurantes estão oferecendo aos clientes entregas sem contato. Além deles, os bancos que têm trabalhado em horários especiais para idosos, garantindo que eles possam estocar itens essenciais sem nenhum risco.

Neste momento, e em outros períodos de crise, quem encontrar maneiras para diminuir o estresse e solucionar problemas vai continuar existindo. Quando marcas e empresas param, simpatizam, agem e dedicam tempo para ajudar, naturalmente convertem esforços em lucro.

4 motivos para usar vídeos na Estratégia de Marketing

Os vídeos estão, cada vez mais, caindo nas graças das estratégias de marketing para promover produtos, serviços e marcas. Eles estão no YouTube, em landing pages, webinars gravados, redes sociais, e-mails e em muitos outros canais e formatos. Além de informar, eles são extremamente eficientes na construção de relacionamentos duradouros com a audiência.

Abaixo elencamos quatro motivos para você expandir seus negócios, aumentar suas vendas e conversões a partir do marketing de vídeo.

1. Vídeos melhoram o SEO

O conteúdo de vídeo de alta qualidade aumenta o envolvimento da audiência e pode direcionar o tráfego para seu site que, junto às taxas de cliques, são os principais fatores de classificação do Google. Sendo assim, fica claro que quanto maior o tráfego e cliques os vídeos do seu site obtiverem, melhor será sua posição dentre os resultados em mecanismos de pesquisa.

Existem muitas outras maneiras de alcançar uma boa colocação: O API Video Intelligence do Google, por exemplo, registra palavras-chave relevantes em um vídeo, o que pode proporcionar uma grande vantagem na otimização.

Além disso, os algoritmos do Google priorizam cada vez mais as páginas com conteúdo de vídeo nos resultados de pesquisa e, por isso, é imprescindível que as empresas se adequem e adotem vídeos como parte de suas estratégias de marketing digital.

2. Vídeos mantém o usuário por mais tempo em uma página

O usuário médio gasta cerca de 88% a mais de tempo em um site com vídeo do que com qualquer outro tipo de conteúdo, de acordo com dados publicados na Forbes.

Vídeos são dinâmicos e exigem menos da audiência. Portanto, criar vídeos interessantes pode aumentar as chances reais da sua empresa alcançar o público-alvo e alavancar as taxas de conversão.

3. Vídeos cativam a audiência

Como recém vimos, vídeos mantém a atenção dos espectadores — mais do que texto. Por quê? Basicamente por combinar os sentidos auditivo e visual. 

Os seres humanos são criaturas altamente visuais. Processamos recursos visuais 60 mil vezes mais rápido do que textos. Além disso, a maioria das informações provenientes do cérebro é visual, o que significa que os espectadores retém melhor uma mensagem através de vídeo. E por isso, o espectador médio lembra 95% de uma mensagem quando é assistida, em comparação com apenas 10% do conteúdo que é lido.

4. Pessoas gostam de compartilhar vídeos

O vídeo obtém cerca de 1200% mais compartilhamentos do que conteúdos de texto, de acordo com dados do Wordstream

Vídeos são divertidos e, também, agregam valor prático. Por isso são tão amados e compartilháveis.

Você provavelmente já notou que o futuro é mobile, certo? Mas talvez o que você não percebeu até aqui é que o vídeo é a grande estrela do conteúdo do futuro.

Até 2022, o vídeo no celular representará 81% do total do tráfego de dados móveis, segundo estudo da fabricante de equipamentos de rede Cisco.

E aí, foi convencido de que o vídeo é uma peça essencial para sua estratégia de marketing? Então está na hora de conhecer nosso trabalho:

Veja mais em: YouTube DG5

O poder da boa comunicação em tempos de crise

Em tempos de Covid-19, muitos negócios sentem estar batendo contra o maior iceberg do ciclo de suas vidas. A vulnerabilidade em não ter controle sobre as circunstâncias e soluções imediatas, podem levar a grandes frustrações, desemprego e falências.

Por isso, é necessário dar uma pausa e um longo respiro. É tempo de criar um planejamento estratégico que vai nortear os próximos passos da sua empresa e futuro. Encontre meios de explorar, através da comunicação, seus valores e objetivos, dando espaço para três pontos essenciais: Consistência, frequência e precisão — tanto na comunicação interna com os colaboradores, quanto na comunicação externa.

Para te ajudar nesse caminho de volta à luz, te convidamos a considerar algumas práticas que darão sustento ao seu posicionamento mesmo quando acontecimentos não esperados baterem à porta.

Comunicação em tempo real

A comunicação instantânea é fundamental pois traz e incentiva mudanças rápidas. É importante manter-se atento às notícias e estar atualizado quanto à qualquer questão que afeta diretamente sua empresa e seus consumidores. Caso surjam imprevistos que interrompam sua capacidade de conduzir os negócios, seja proativo e tenha um plano estruturado.

Tenha uma comunicação previamente preparada para implantar rapidamente. É muito mais fácil fazer algumas edições em um material do que começar do zero quando se está no modo reativo. 

As notas ajudam as empresas a esclarecer fatos e a mostrar que estão cientes da situação. Permitem ainda que você enumere as ações que a marca está fazendo para contornar o problema e evitar demais transtornos para o consumidor.

Gestão de conteúdo

Uma boa estratégia aliada a um plano de comunicação bem alinhado com os diversos departamentos da empresa auxiliam na diversificação e qualidade dos materiais desenvolvidos.

Por isso, antes de cortar a verba da comunicação para se adequar ao orçamento que foi reduzido, é importante avaliar qual será o impacto desta ação para a imagem, engajamento e relacionamento da companhia. Muitas vezes, a comunicação que é subestimada, pode ser a diretriz que salvará sua empresa, sendo ferramenta de diferenciação e credibilidade.

São as estratégias de comunicação que garantirão a visibilidade da marca e a guiarão fortalecida para o período pós-crise.

Presença ativa na mídia

A geração de mídia espontânea, por meio de ações de assessoria de imprensa, é a maneira mais barata e eficaz de manter o assessorado em evidência. Além disso, se bem elaboradas, as sugestões de pauta ganham destaque quando fogem do noticiário factual. 

Com diretrizes mais leves, mas ainda assim informativas, sua empresa pode levar conteúdo ao público gerando um buzz positivo e, consequentemente, recrutando novos consumidores que estarão ao seu lado mesmo após a crise.

Redes sociais

Tenha uma gestão eficiente de redes sociais. Estar presente, mesmo em tempos difíceis, pode resultar em um relacionamento mais humanizado e estreito com o consumidor. Assuma posições e mantenha-se claro e objetivo em sua mensagem. A boa gestão de comunicação pode anular ou amenizar uma crise e gerar relevância para sua marca.

Naming: O nome frente a marca e seu universo

Você já ouviu falar em naming? Caso a resposta seja “não”, a gente esclarece para você: O naming nada mais é que o nome da marca. O principal e mais básico elemento na identificação de uma empresa. É através dessa figura que as pessoas fazem o link entre um conjunto de significados que são estabelecidos ao longo do tempo com o nome em questão.

Vamos fazer um jogo: Qual o nome da marca que vem automaticamente à sua mente quando citamos: cor vermelha, ondas brancas, Papai Noel, urso polar e garrafa de vidro. Se você é civilizado, dificilmente não pensará instantaneamente na Coca-Cola.

O simples conjunto de letras que forma o nome dessa marca tem o poder de resgatar todo o imaginário construído em torno dela. E por essa razão, o naming é um dos elementos de expressão mais importantes para a construção de uma identidade de marca.

Como ter certeza do nome certo para o meu negócio?

O projeto de construção de nome, o naming, contribui para posicionar uma marca corretamente no mercado, além de facilitar a comunicação com o público. 

Criação estratégica

A criação do nome de uma empresa ou marca não deve ser subestimada, afinal, esse será o nome que as pessoas relacionaram ao seu negócio por todo seu ciclo de vida. Escolher uma palavra qualquer para carregar todos os significados que você irá construir pode ser um tiro no pé. O naming mal construído pode repercutir de várias maneiras, trazer percepções negativas e causar confusões. Opte por um nome fácil de lembrar. Em geral, nomes curtos com até 3 sílabas funcionam melhor.

Distinção e associação

Seja lembrado por merecer. Não corra o risco de causar confusão com marcas de terceiros. Além disso é importante que haja espaço para associações positivas que reforcem a essência do seu negócio. Nesse caso é importante analisar as percepções negativas que o nome pode ter no segmento que você atua.

Pronúncia (e sonoridade)

Faça um estudo do seu público-alvo, afinal, é importante que os clientes consigam pronunciar com naturalidade ou serem facilmente ensinados a fala correta do nome. Se este for muito difícil, não vai funcionar. Quer um exemplo na prática? O chocolate Lollo sofreu um rebranding no início dos anos 1990, trocando o nome para “Milkybar”. A troca não deu muito certo e o chocolate saiu das prateleiras. Em 2015 a Nestlè relançou o produto com seu nome original, “Lollo”.

Proteção

É necessário fazer o registro da marca junto ao INPI para protegê-la integralmente. Quando registrada, a marca tem proteção legal e pode ser usada única e exclusivamente por seu proprietário. Isso evita que qualquer concorrente utilize sua marca indevidamente ou crie cópias semelhantes. Para o registro, evite nomes descritivos, que sugerem o tipo de produto ou categoria pois são mais difíceis de registrar no Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

Na prática, temos alguns bons exemplos que foram criados aqui na DG5. Entre eles o Pulse Coworking e a Clínica Hamâni.

O conceito desenvolvido para o Pulse Coworking foi tão certeiro que inspirou toda a identidade do espaço da empresa. O nome marca e é fácil de lembrar – pulsa e inspira a todos envolvidos.

Já Hamâni tem sua origem na cultura africana e significa harmonia, vindo ao encontro do espaço multidisciplinar oferecido.

———-

Ainda está com dúvida ou não sabe por onde começar? Nos mande um direct que vamos te ajudar!