Lições de Branding com a Starbucks

A rede Starbucks não inventou o café, mas fez com ele algo que ninguém jamais imaginou possível: tornou um produto que custava 25 cents em quiosques e balcões de lanchonetes em um artigo de luxo, vendido a preços absolutamente inflacionados.

Não é por menos que a marca ocupa o 43º lugar no ranking Best Global Brands 2019, da Interbrand.

O grande nome por traz da companhia foi Howard Schultz. Ao beber, pela primeira vez o café em uma lojinha da Starbucks em Seattle, descreveu a sensação da seguinte forma:

”A nuvem de vapor e aroma pareceu envolver o meu rosto por completo. Eu tomei um gole pequeno, hesitante. Uau! Minha cabeça deu um tranco para trás, e os olhos se arregalaram. Mesmo depois de um único gole eu tinha certeza de que aquilo era mais forte que qualquer outro café que já provara na vida. Ao ver minha reação, o pessoal da loja caiu na risada. “Forte demais pra você?” Eu forcei um sorriso e sacudi a cabeça. E em seguida dei mais um gole. Dessa vez pude distinguir melhor as nuanças do sabor encorpado. No terceiro gole, fui conquistado. A sensação era de ter descoberto um mundo inteiramente novo”.

Claramente Schutz era um grande apreciador de café e fez da paixão uma grande oportunidade para surpreender e vender. Em meados de 1982, Schultz integrou ao time Starbucks e trouxe uma nova visão de negócios para ser pauta de reunião na empresa. Não muito tempo depois, ele comandava todos os processos da cadeira da presidência.

Mas afinal, que lições podemos aprender sobre Branding a partir da marca? Separamos algumas aqui e você pode conferir:

1. Uma marca pode ser mais que apenas uma marca

Marcas queridas e amadas narram e exalam mistério, sensualidade e intimidade e são reconhecidas imediatamente como sendo lovemarks. Para ser uma, é necessário focar no que você faz de melhor e encontrar meios de expandir a experiência ao consumidor e à todos que fazem parte da cadeia de produção.

2. Crie seu próprio mood

O lema da Starbucks é dar uma pausa na rotina para ler um livro, escutar uma música, bater um papo com os amigos ou abrir o notebook e conectar o wireless para trabalhar – e dar uma chance para um dos tantos produtos a base de café que a marca comercializa – em um ambiente acolhedor e moderno. O posicionamento da marca através da comunicação visual e verbal torna suas lojas únicas e proporciona aos consumidores uma experiência inigualável. Aposte suas fichas em uma identidade e siga ela em todas as vertentes da comunicação empresarial.

Foto: Créditos

3. Seja autoridade no seu segmento

Tornar um produto comum em artigo de luxo e vender como água é um grande feito e merece olhos atentos. A Experiência Starbucks é completa porque acolhe o consumidor em seu mundo autêntico e se conecta a ele de forma simples e pura, como nenhuma outra cafeteria no mundo conseguiu fazer.

4. Um bom discurso é guiado por ações

A Starbucks tem um envolvimento bem presente com a comunidade e com questões de responsabilidade social e ambiental. Mostrar interesse e praticar ações em pró desses assuntos geram confiança e credibilidade com o consumidor contemporâneo que está atento a estas questões.

Foto: Créditos

4. Surpreenda!

Além das lojas conceituais em design, a Starbucks, vez ou outra, implanta uma nova loja com alguma atração inusitada. Um exemplo disso foi a primeira loja implantada dentro de um trem, na Suíça, em meados de 2013.

Foto: Créditos
Foto: Créditos

5. Tenha um (dois, três) diferencial

Já disse o próprio Howard Schutz: “Não estamos no ramo de café para servir pessoas, mas no ramo de pessoas para servir café”. No caso da Starbucks, o ambiente tornou-se tão importante quanto o próprio café. E aí, qual é o seu diferencial?

_________

Invista em conteúdo e identidade de marca. Mais do que nunca, estes são pontos essenciais para criar uma experiência única e relevante na rotina do consumidor e se tornar uma Top of Mind.

Não sabe por onde começar? A gente pode te ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *