Naming: O nome frente a marca e seu universo

Você já ouviu falar em naming? Caso a resposta seja “não”, a gente esclarece para você: O naming nada mais é que o nome da marca. O principal e mais básico elemento na identificação de uma empresa. É através dessa figura que as pessoas fazem o link entre um conjunto de significados que são estabelecidos ao longo do tempo com o nome em questão.

Vamos fazer um jogo: Qual o nome da marca que vem automaticamente à sua mente quando citamos: cor vermelha, ondas brancas, Papai Noel, urso polar e garrafa de vidro. Se você é civilizado, dificilmente não pensará instantaneamente na Coca-Cola.

O simples conjunto de letras que forma o nome dessa marca tem o poder de resgatar todo o imaginário construído em torno dela. E por essa razão, o naming é um dos elementos de expressão mais importantes para a construção de uma identidade de marca.

Como ter certeza do nome certo para o meu negócio?

O projeto de construção de nome, o naming, contribui para posicionar uma marca corretamente no mercado, além de facilitar a comunicação com o público. 

Criação estratégica

A criação do nome de uma empresa ou marca não deve ser subestimada, afinal, esse será o nome que as pessoas relacionaram ao seu negócio por todo seu ciclo de vida. Escolher uma palavra qualquer para carregar todos os significados que você irá construir pode ser um tiro no pé. O naming mal construído pode repercutir de várias maneiras, trazer percepções negativas e causar confusões. Opte por um nome fácil de lembrar. Em geral, nomes curtos com até 3 sílabas funcionam melhor.

Distinção e associação

Seja lembrado por merecer. Não corra o risco de causar confusão com marcas de terceiros. Além disso é importante que haja espaço para associações positivas que reforcem a essência do seu negócio. Nesse caso é importante analisar as percepções negativas que o nome pode ter no segmento que você atua.

Pronúncia (e sonoridade)

Faça um estudo do seu público-alvo, afinal, é importante que os clientes consigam pronunciar com naturalidade ou serem facilmente ensinados a fala correta do nome. Se este for muito difícil, não vai funcionar. Quer um exemplo na prática? O chocolate Lollo sofreu um rebranding no início dos anos 1990, trocando o nome para “Milkybar”. A troca não deu muito certo e o chocolate saiu das prateleiras. Em 2015 a Nestlè relançou o produto com seu nome original, “Lollo”.

Proteção

É necessário fazer o registro da marca junto ao INPI para protegê-la integralmente. Quando registrada, a marca tem proteção legal e pode ser usada única e exclusivamente por seu proprietário. Isso evita que qualquer concorrente utilize sua marca indevidamente ou crie cópias semelhantes. Para o registro, evite nomes descritivos, que sugerem o tipo de produto ou categoria pois são mais difíceis de registrar no Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

Na prática, temos alguns bons exemplos que foram criados aqui na DG5. Entre eles o Pulse Coworking e a Clínica Hamâni.

O conceito desenvolvido para o Pulse Coworking foi tão certeiro que inspirou toda a identidade do espaço da empresa. O nome marca e é fácil de lembrar – pulsa e inspira a todos envolvidos.

Já Hamâni tem sua origem na cultura africana e significa harmonia, vindo ao encontro do espaço multidisciplinar oferecido.

———-

Ainda está com dúvida ou não sabe por onde começar? Nos mande um direct que vamos te ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *