www.freepix4all.com

Sobre ambientes de trabalho positivos e produtividade.

Cheguei ao trabalho no turno da tarde com aquela vontade de comer um doce. 🍭Para minha tristeza (ou felicidade do meu bolso), nos entornos do escritório (se alguém souber, por favor me avise!) não há nenhum “bolicho” ou padaria nos entornos para matar a vontade. 

Mas dizem por aí: “quem não chora, não mama”, não é? 

“Alguém tem um doce?” 

Prontamente, meu colega me ofereceu um tablete de chocolate da Cacau Show (vejam bem, não era qualquer chocolate!) que vim a dividir com outra colega depois. 

Mas eu não vim falar sobre chocolates. Vim falar sobre ambientes de trabalho saudáveis. 

Uma boa liderança é fundamental para que uma equipe de trabalho esteja alinhada a propósitos e ideais. 🎯 E o mais legal é quando a diversidade reina os escritórios, criando um elo entre pessoas completamente diferentes…e quando se trata do ramo da comunicação, indispensável! Já pensou em fazer um brainstorming com gente que pensa igual? 

Para a minha sorte, sempre tive bons relacionamentos com colegas, desde que entrei no mercado de trabalho, lá em 2013. Hoje, há mais de ano trabalhando com o pessoal do HUB, tenho a certeza da competência e integridade da equipe que nosso líder formou. 🍀

Mas veja, isso é reflexo de diversos aspectos que vem “lá de cima”: feedbacks (sejam eles positivos ou negativos), gentilezas, incentivos e puxões de orelha na hora certa. Reservar um tempo para reunir os colegas (nem que seja um lanche no meio da tarde) também é crucial para que as pessoas se conheçam e os laços se estreitem. 

O resultado disso tudo é um ambiente de trabalho mais leve, divertido, colaborativo e produtivo. 🖤💛

(e com gentilezas em forma de chocolates!)

Como colaborador, como se sente no seu ambiente de trabalho? 

E como empreendedor…tem provido um ambiente agradável e saudável para seus funcionários? 

 

comunicacao-experiencias-deliciosas

Fazer comunicação é sobre provocar experiências deliciosas.

Noite passada, após notar o vazio na geladeira (e no estômago), apelei ao melhor amigo de quem mora sozinho, o Delivery Much, para garantir a janta. Após um tempo perdido (ou investido, dependendo do contexto) vasculhando a lista de restaurantes disponíveis, optei por um combo de carne + batatas rústicas + salada de uma hamburgueria da cidade que gosto muito.

Confesso que estava com fome e, para minha surpresa, o pedido chegou mais rápido do que eu esperava. 🏍

Estava chovendo e o telemoto (os heróis da pandemia) me entregou os pedidos dentro de uma grande sacola plástica, para evitar que a encomenda molhasse. Dentro desta, estava uma sacola de papel kraft com a logo e contatos da empresa, devidamente personalizada; fechadinha com grampos junto a nota fiscal do pedido.

Vale destacar que a sacola estava suuuper quente! 🔥

Ao abrir a sacola, me deparei com um aroma inebriante da carne e das batatas, mas também fiquei um bom tempo contemplando as embalagens . Cada produto veio dentro de uma caixinha diferente, estampadas com a “vibe”, ou melhor, com o posicionamento da hamburgueria, carregando essa pegada mais “rock n´roll”. 🤘

👉(Se eu fosse uma personagem de Acumuladores, certamente iria guardá-las).

👉(Devia ter jantado ao som de Pearl Jam ou algo assim.)

👉(Alô, hamburgueria X, faça um playlist colaborativa no Spotify!)

Não preciso nem dizer o quão saborosa estava a refeição, né? 😜

Mas Giovana, aonde você quer chegar com tudo isso? 🤔

Quero falar sobre a experiência do consumidor. 🖤🖤🖤🖤

Percebam que o investido na refeição não se trata apenas de dinheiro, se trata de valor. E isso vai muito além da satisfação de um produto ou serviço contratado, estamos falando de algo que você olhe e fale “UAU, isso realmente é muito bacana.” 😍

Apreciar uma comida saborosa fora de casa (ou delivery) é fundamental, pois ninguém gosta de gastar dinheiro em algo que não estava tão bom assim, não é mesmo? 🤭

Provocar experiências positivas para os clientes está nos detalhes. Se você é uma empresa que está começando, não precisa fazer grandes investimentos para conquistar seus clientes. Comece com um recadinho personalizado na embalagem, por exemplo. 😉

O desafio é: não deixe que uma refeição seja apenas uma refeição. ❤️🍴 

 

Biscoito de sorvete e o ato de combinar grandes ideias

O ser humano que inventou biscoito de sorvete merece um prêmio de honra ao mérito por tornar o mundo melhor. Devo dizer que biscoito de sorvete é um perfeito exemplo da combinação de grandes ideias para gerar um novo produto, ou seja, inovar.

Se você já ouviu a frase “nada se cria, tudo se copia” saiba que ela é muito verdadeira, embora não seja tão literal assim. O ato de copiar não implica em simplesmente fazer a mesma coisa que já foi feita e estampar o seu nome em cima. A cópia inteligente consiste em fazer uma curadoria de pequenas características, recursos e funções e apresenta-las de uma forma completamente nova, resolvendo um problema completamente diferente.

Você sabia que pode tirar chiclete do seu sapato com desengripante?

Coisas novas geralmente são coisas velhas “com uma pegadinha”. Os grandes mestres da inovação aprenderam a encontrar um tênue equilíbrio para trazer à luz grandes produtos. A inovação acontece quando você faz algo diferente o suficiente para despertar a curiosidade, mas normal o suficiente para não ser desconfortável. “Mil músicas no seu bolso”, disse Steve Jobs.

Quando se sentir preso em um raciocínio, lembre-se que para quem tem um martelo, tudo parece um prego. Na próxima vez que enfrentar um problema, imagine que todas as coisas que você conhece são pequenas pecinhas de lego, esperando para serem unidas em um objeto completamente novo. Unir grandes ideias é um excelente começo para incitar nossa curiosidade, olhar velhos problemas com outro ângulo e começar o incrível processo de cria

Young smiling woman with card holding it over payment terminal while paying for her order in cafe

Marketing Digital com empatia: Criando conexões e gerando vendas.

Quando falamos de Marketing Digital podemos facilmente relacionar situações do dia a dia. Elas ajudam a compreender quais táticas estão dando certo e quais devem ser ajustadas para obter melhores resultados.

Uma situação corriqueira que pode ser familiar: Você entra em uma loja para comprar uma blusa preta. Você já sabe onde ela está, o modelo e o tamanho que quer. Você está 100% certo desta compra, não tem erro.

Mas, enquanto você percorre o caminho até onde está o produto, um atendente te alcança e começa um interrogatório sem fim. “Posso ajudar?”, “já conhece nosso cartão fidelidade?”, “você tem o cartão da loja?”, “não quer levar essa outra opção? está na promoção!”. Você já está exausto(a) e incomodado(a) o suficiente para dar meia volta e sair da loja (e sem a blusa preta).

O que isso tudo tem a ver com o Marketing Digital? Se seus clientes em potencial se sentem assim – aborrecidos e irritados – com a sua marca, não será por falta de motivos que eles te trocarão pelo concorrente.

Resolva esse problema! Listamos cinco maneiras que podem solucionar a sua comunicação e estratégias de marketing:

1. Pense como seu cliente em potencial.

Ter empatia vai muito além de simpatizar. É necessário colocar-se no lugar de outras pessoas, imaginando suas rotinas, problemas e a melhor forma de solucioná-los.

2. Um bom Marketing serve aos outros.

É preciso lembrar que não estamos mais na era da propaganda por obrigação. Hoje as pessoas até pagam para não consumir anúncios.

O resultado final é que a nova geração de compradores não gosta de marketing disruptivo. Eles não querem se sentir empurrados para uma compra e fazem tudo o que podem para evitar esse tipo de “intromissão”.

Então, você deve estar se perguntando, como vender mais sem falar em vendas? Bem, não é bem assim.

Foque na narrativa. É essencial que antes de querer vender você conte uma história e prenda a atenção da sua audiência. Depois de conquistar essa atenção e aprender a ouvir o que seu consumidor precisa, você conseguirá vender naturalmente. 

3. Seja positivo nas suas interações.

O maior objetivo da sua marca deve ser facilitar ou melhorar a vida das pessoas.

Para isso, acentue uma vibração positiva em seus esforços de marketing. Aqui estão três dicas que podem ajudar:

  • Use palavras positivas em suas legendas, conteúdo e copywriting;
  • Concentre-se nos resultados positivos. Não é sobre esconder os problemas que seu público pode estar estão enfrentando, mas mostra a ele que é possível superá-los;
  • Use fotos de pessoas felizes e naturais no conteúdo. Ao retratar pessoas reais, você gera identificação.

4. Ouça o que seus clientes estão dizendo.

Conforme sua empresa cresce, é natural que você receba avaliações negativas. É importante reservar um momento para ouvir essas críticas para saber onde melhorar. Lembre-se sempre: seu público não é você.

5. Preste atenção aos gatilhos emocionais.

O ato de comprar não está relacionado apenas com os benefícios funcionais de um produto. A compra, na maioria das vezes, é motivada pelo fator emocional.

Aplicando a empatia e utilizando gatilhos emocionais, fica mais fácil gerar conexões. Quando as mensagens de marketing afetam pessoalmente, você gera uma experiência instantânea e real.

blurry-female-vlogger-online-streaming

Live Streaming: Entregue conteúdo de impacto para a sua audiência.

Vivemos tempos em que a capacidade de uma marca de alcançar seus clientes digitalmente nunca foi tão importante. E é dentro deste cenário que as transmissões ao vivo se tornaram uma atração à parte. Embora a popularidade do YouTube já tenha firmado a importância do vídeo, o aumento do consumo de live streaming é relativamente recente e notório.

Um relatório do Interactive Advertising Bureau (IAB) revelou que até o final de 2018, 67% dos usuários de Internet haviam transmitido vídeos ao vivo, sendo que 47% haviam aumentado a geração de conteúdo neste formato desde o ano anterior. A Go Globe estimou em 2017, que até 82% do tráfego online seria dedicado às transmissões de vídeo até o final de 2020. Pois bem, este estudo não contava com o cenário atual de pandemia que, certamente, aumentou exponencialmente estes números.

Para ajudá-lo(a) a entender um pouco mais desse mercado e ferramenta dentro da estratégia de marketing, separamos algumas considerações. Confira!

Afinal, o que é a transmissão de vídeo?

A transmissão de vídeo ao vivo é exatamente o que diz ser: um vídeo transmitido ao vivo na Internet, e não pré-gravado e depois enviado para uma conta no Facebook ou YouTube, por exemplo. Tecnicamente, a transmissão ao vivo de vídeo é um termo abrangente que pode até incluir transmissões de TV, e que também são disponibilizadas em tempo real pela Internet.

Para fins de comunicação e marketing, no entanto, a transmissão ao vivo normalmente se refere ao conteúdo que você mesmo está produzindo e transmitindo online.

Empresas e outras organizações costumam usar a transmissão ao vivo para coletivas de imprensa, anúncios de produtos ou seminários online. Além disso, existe uma demanda grande, atualmente, para transmissões ao vivo de música, onde bandas e cantores solos, com intuitos beneficentes ou puro entretenimento fazem shows ao vivo.

Quais as vantagens da transmissão ao vivo?

Independentemente do seu nicho, as pessoas amam consumir conteúdos em vídeo – e isso pode ter um grande impacto para as tomadas de ações e construção de um relacionamento entre marca-público. De acordo com dados de uma pesquisa encomendada pela Livestream, 80% dos usuários de Internet preferem vídeo ao vivo a blogs, enquanto 82% preferem vídeo ao vivo a outros conteúdos de mídia social. Sessenta e sete por cento dos que assistem a uma transmissão ao vivo compraram ingressos para eventos semelhantes.

Para o consumidor, a transmissão ao vivo parece mais uma conversa do que um anuncio pré-empacotado. Isso ajuda a desenvolver uma conexão mais forte com a marca, especialmente se você usar seu conteúdo ao vivo para responder a perguntas ou responder a comentários. A formação de uma conexão natural e autêntica com seus clientes ajudará bastante a gerar conversões e a resolver preocupações que, de outra forma, poderiam impedi-los de comprar.

Todos os olhos voltados para a sua marca

Embora a transmissão ao vivo possa ser uma parte poderosa do seu arsenal de marketing, nem todos os vídeos ao vivo são criados da mesma forma. Para ser assertivo é necessário criar um conteúdo que educa, envolve e diverte.

A verdade é que as marcas e empresas devem planejar o que vão fazer e dizer antes de ir ao ar. Pode ser útil pensar na transmissão ao vivo de maneira semelhante a outras ferramentas de marketing que você já pode ter usado no passado. Por exemplo, ao filmar um seminário online em vídeo, você prepararia pontos de discussão importantes e usaria gráficos atraentes ou demonstrações de produtos para manter a atenção do público. Sendo assim, os mesmos princípios se aplicam ao live streaming.

Claro que, o tipo de conteúdo que funcionará melhor vai variar de acordo com o nicho e público-alvo pretendido. No entanto, entrevistas, perguntas e respostas, shows, tutoriais e acesso aos bastidores geralmente são os tipos de conteúdo mais eficaz.

Ao colocar os interesses do cliente em primeiro lugar, a sua empresa gera mais oportunidades para criar e desenvolver conexões mais fortes e promove um envolvimento mais significativo da audiência.

Que tal causar um grande impacto com um live streaming? Nossa equipe está preparada para te ajudar nesse planejamento. Vamos conversar?

pexels-lisa-fotios-1092671

7 dicas para fazer boas fotos para mídias sociais com o celular

Criar conteúdo para as mídias sociais é uma forma de permanecer em contato (e conectado) com o público, principalmente diante de um cenário em transformação como o atual.

Para que este conteúdo seja atraente e efetivo é importante inovar e trazer relevância. Não se preocupe com grandes estruturas e equipamentos de ponta – muitas vezes o que você já tem é o necessário.

Veja só: Grande parte dos smartphones podem produzir fotos com qualidade suficiente para publicações nas mídias sociais, sem mencionar o quão pratico é. Embora a entrega não seja comparável ao material produzido profissionalmente, existem várias maneiras fáceis de elevar as fotos captadas por dispositivos móveis.

Aqui estão cinco dicas para você fazer fotos com o celular e aprimorar suas publicações no Instagram, Facebook, Pinterest e outras redes. Confira!

1. Cuidado com a lente da câmera.

Toda boa foto de mídia social começa com uma lente de câmera limpa. Antes de tirar fotos, abra o aplicativo da câmera e tire algumas fotos de teste para confirmar que está tudo ok. Limpar o vidro sempre que você planeja tirar uma foto também pode trazer maior clareza da captação.

2. Considere usar um suporte.

Todos sabemos o quanto uma mão trêmula pode transformar uma foto potencialmente boa em um desastre. Embora seja possível estabilizar a câmera usando uma montagem improvisada, sua melhor aposta para uma foto estável é um tripé ou um suporte profissional para o telefone.

Normalmente, eles são fáceis de encontrar na Amazon, Mercado Livre ou sites chinese, por exemplo, e podem melhorar significativamente a qualidade das suas fotos. Caso não seja um material que você possa adquirir no momento, tente manter os cotovelos perto do corpo enquanto tira a foto, e os pés afastados na largura dos ombros. Essa tática pode auxiliar no equilíbrio e evita tremedeiras.

3. Use o recurso timer.

Sempre que possível, use a câmera na parte traseira do telefone e não a câmera frontal (selfie) pois a qualidade é muito superior. Se pretende fazer um vídeo ou foto em que aparece, apoie seu telefone onde fique estável – ou use seu tripé – e ative o recurso de tempo no aplicativo da câmera.

Outra opção que vale a pena considerar é o controle remoto bluetooth que auxilia nos cliques sem precisar tocar no aparelho

4. Iluminação importa. E muito!

Pode ser difícil obter a iluminação certa fora de um estúdio, mas com alguns ajustes, é totalmente possível obter uma foto bem iluminada. Se possível, use e abuse da luz natural do sol. Alguns truques profissionais incluem aproveitar a “hora de ouro”, que é a primeira hora após o nascer do sol e a última hora de luz antes do pôr do sol.

Evite usar o flash, pois ele propicia imagens planas. Se possível, tenha um anel de luz (ringlight) que permite uma excelente iluminação, independentemente da hora do dia.

5. Ative as linhas de grade.

Esse recurso utiliza “a regra dos terços”, uma teoria que sugere que o ponto focal de qualquer foto deve ser ajustado entre essas linhas, tendo como resultado uma imagem mais equilibrada. 

A ativação do recurso de linhas de grade pode ser feita facilmente através das configurações do aplicativo e desativada a qualquer momento.

6. Evite o zoom manual nas fotos.

Pode ser tentador ampliar o zoom em suas fotos para ter uma visão mais detalhada, mas isso diminui drasticamente sua qualidade.

Existem algumas alternativas fáceis que podem solucionar este problema: Aproxime-se do objeto ou cenário pretendido ao clique ou use a ferramenta de corte depois.

7. Edite as fotos, mas sem exagerar.

Existem inúmeros aplicativos que podem facilitar a edição, mesmo que você não tenha experiência com edição de fotos: Adobe Lightroom, VSCO e SNOW são apenas alguns que oferecem edição fácil e gratuita.

Alguns outros apps podem ser tão úteis quanto: Unfold, InShot, Filmm e CANVA. Estes permitem edição com templates, figuras e efeitos para fotos e vídeos. Já o ColorStory, por exemplo, dá um preview do grid do Instagram, permitindo um teste de composição.

Mas é preciso cautela e dosagem certa para não exagerar na edição e tornar as publicações em spam visual ou paisagem. Pessoas reais gostam de coisas reais. Lembre-se: o diferencial da sua marca a torna mais acessível e autêntica, essa moeda é a que você deve abusar.

pexels-freestocksorg-744464

3 erros que você pode estar cometendo na estratégia de anúncios

Só porque todo mundo está aproveitando o momento atual para anunciar nas redes sociais não significa que isso deva ser feito às pressas. É exatamente pelo fato de muita gente estar anunciando que você precisa se planejar.

Primeiro, familiarize-se com estratégias que garantam que seus gastos com anúncios sejam bem-sucedidos. Não crie um anúncio que facilmente seja ignorado entre tantas outras mensagens online. 

Uma das melhores maneiras de garantir que sua estratégia seja sólida é saber o que não fazer. A seguir, separamos três dos erros mais comuns que empresas cometem na estratégia de anúncios nas redes sociais. Confira (e evite-os).

Investir o orçamento total sem testar o público

Geralmente, quando uma empresa decide investir em anúncios nas redes sociais, cria sua segmentação por público-alvo com base no que já conhece sobre seus consumidores. Qual é o problema, afinal? Por mais completos que sejam os dados sobre faixa etária, localização geográfica, gênero e interesses do consumidor, o público online nem sempre é o mesmo e, por isso, o teste de audiência é imprescindível para anúncios digitais.

Muitas empresas acreditam que já sabem como direcionar seu público-alvo para ter maior retorno do investimento e investem a maior parte do orçamento destinado a anúncios antecipadamente, em busca de resultados rápidos.

O Facebook, por exemplo, facilita a localização do seu público-alvo ideal com um recurso de teste A/B que permite dividir o teste em até cinco anúncios de uma só vez. Agora, se você estiver criando anúncios no LinkedIn, Twitter, TikTok ou Pinterest, inicie um pequeno orçamento de teste com base em um palpite fundamentado e ajuste de acordo. Mantenha o anúncio consistente, alterando os principais fatores do público, analise e aí sim, invista pesado.

Perder conversões por causa de comentários negativos

Já dizia o ditado: “Quem está na chuva é para se molhar”. Os anúncios nas redes sociais também estão expostos a possibilidade de comentários negativos. Pode ser um ex-cliente insatisfeito ou alguém que simplesmente não gostou do anúncio, a grande questão aqui é que comentários negativos descredibilizam a sua mensagem.

Pense nisso: se ao ver um anúncio de um produto em que você tem um grau de interesse, com um comentário negativo falando que o produto não funciona ou que a experiência do consumidor foi ruim, provavelmente você desistiria da compra, não é?

Para resolver isso, é interessante dispor de um social media, profissional responsável pelo gerenciamento das redes, que esteja preparado para situações de risco. Outra ferramenta fundamental são os robôs de conversação, que são programados para responder automaticamente os usuários, reduzindo assim incidências de mensagens não respondidas, por exemplo.

Não ter um plano de ação eficiente

O objetivo final de um anúncio sempre será estimular uma ação. Para impulsionar essa reação do cliente em potencial, é necessário que você seja claro na sua mensagem, levando-o a agir: “Compre!” “Assine nossa newsletter!” “Siga nosso perfil!”

Cerca de 13% dos usuários em redes sociais sentem-se mais estimulados a comprar algo quando se deparam com o botão “compre agora” no anúncio. A regra é simples: Não dificulte quando você pode facilitar a tomada de ação do seu cliente potencial.

_

inverno-capa

GOT x Comunicação x Design Thinking: o que tem a ver?

*Se você não viu GOT (e pretende assistir), sugerimos que pare de ler aqui!*

O final da série Game Of Thrones dividiu opiniões entre seus fãs. Mas não é este o ponto, a questão é que a narrativa traz discussões bastante interessantes em diversos aspectos, principalmente na Comunicação. 🐉

A história da série permeia objetivos de crescimento, planejamentos e disputas com concorrentes ao tão desejado Trono de Ferro. Também fala a respeito de gestão de conflitos e estratégias – mesmo passando em tempos remotos, as narrativas se tornam bastante atuais. 

Em questão de Design Thinking (e também em comunicação e publicidade em geral), é preciso EMPATIA, colocar-se no lugar do outro (seja cliente, público-alvo, sócios e colegas) a fim de obter um negócio e resultados de sucesso. Comunicação se faz com pessoas e PARA pessoas. Um exemplo disso é a personagem Daenerys Targaryen, a qual cria um laço forte de empatia com o povo do seu esposo, Khal Drogo, ganhando, assim, lealdade e confiança entre eles. 

A grande questão é: internalizar os sentimentos dos outros faz com que possamos entender com clareza na hora de comunicar.

Escolha suas batalhas: em certas partes da série, podemos observar a união dos reinos por um bem comum: a conquista do Trono de Ferro. E em comunicação, como fica? Escolha quais ferramentas usar para alcançar os objetivos. Atue como um líder e, diferente de GOT, nada de trapaças! 

Criatividade e soluções: já parou para contar quantas vezes Tyrion Lannister quase “bateu as botas” em diversos episódios? Independente da situação (esperamos que sejam mais leves do que as que Tyrion estava envolvido), ele sempre acha uma maneira de desviar do perigo. Ou seja, por mais que planejamentos e ideias estejam no papel, nem sempre o que está no papel sai como esperado. 

E você que é da área, já assistiu a série? 

conquistar-seguidores-capa

Como conquistar mais seguidores

Um dos marcos mais significativos que um negócio online pode alcançar é atingir um grande número de seguidores. Quanto mais pessoas prestam atenção em você, maior o seu potencial para influenciar no seu campo, gerar engajamento e converter mais vendas.

Atualmente o Instagram é uma das principais plataformas gerar buzz e se conectar com a audiência. Plataformas como YouTube e Facebook ainda detém grande parte dos públicos, enquanto Twitter, LinkedIn e TikTok atendem a públicos bem específicos.

Mas como é possível aumentar o número de seguidores de forma limpa, sem o suporte de plataformas que compram estes números? Felizmente, com a estratégia certa, mentalidade e ética de trabalho consistente é possível crescer, aparecer e conquistar uma legião de fãs.

1. Use as hashtags certas

Esse é um dos elementos mais importantes para quem deseja atrair novos seguidores. Seja no Instagram, Twitter ou outra plataforma, as hashtags são a principal maneira pela qual novos seguidores em potencial podem encontrar o seu conteúdo. Mas você deve estar se perguntando: quais são as hashtags corretas?

As hashtags precisam atender a dois requisitos: primeiro, ser relevante para o seu conteúdo e, segundo, pertencer à categoria “trend” ou ser popular. Criar postagens regulares é uma maneira de fazer isso direito – comentando tópicos atuais ou postando imagens de acordo com as tendências do momento. Pesquise as hashtags mais utilizadas em cada segmento e utilize-as dentro do seu conteúdo.

O que não fazer: Não use hashtags irrelevantes para o tópico que você está tratando. Tampouco, utilize mais de 4-5 por publicações. Você pode me perguntar agora “mas por quê?” e eu te respondo: O Instagram e o Twitter, por exemplo, podem bani-lo por utilizar muitas hashtags. Então, utilize-as com sabedoria.

2. Siga e interaja com outros usuários

Mesmo trabalhando na criação de sua própria base de seguidores, você também deve seguir outras pessoas com interesses, conteúdo e audiência semelhante. Isso torna parte de uma comunidade e facilita a localização do seu público-alvo.

Se você quer ter um grande número de seguidores nas mídias sociais, precisa pesquisar seus concorrentes diretos – ou pelo menos perfis e páginas que possuem semelhanças com a sua. Interaja com a comunidade o máximo possível para divulgar sua marca e gerar interesse em sua conta.

Aliás, comentar as publicações de seus concorrentes diretos é uma das melhores maneiras de direcionar tráfego para seu próprio perfil. Eventualmente, novos visitantes chegarão até você e, se seu conteúdo for atraente o suficiente, pelo menos alguns deles se tornarão seguidores.

3. Publique conteúdo de qualidade regularmente

Gere conteúdo que as pessoas sintam faltam de ler/ ver. Não seja mais um a jogar spam na linha do tempo de outras pessoas, com publicações vazias e sem sentido. Mostre nas redes sociais um conteúdo rico, original e compartilhável. Seja consistente e regular.

4. Publique seu conteúdo no momento certo

Analise os dados que as suas redes geram e utilize-os a seu favor. Seu público-alvo pode ter hábitos e preferências de consumo que beneficiam quando, como e o quê você vai publicar.

Algumas ferramentas (gratuitas e pagas) podem fornecer informações sobre o envolvimento com suas postagens. Vale à pena contratar o serviço, caso você possa.

5. Siga quem está seguindo seus concorrentes

Digamos que você é da área de fotografia urbana em preto e branco. Como seria a maneira mais rápida e fácil de você encontrar potenciais consumidores do seu conteúdo? Você provavelmente pensou nos seguidores de um concorrente, certo?

Encontre perfis semelhantes aos seus com muitos seguidores ou encontre perfis com a audiência que você gostaria de ter para sua marca. No caso hipotético, os seguidores estão claramente interessados ​​na fotografia urbana em preto e branco e a chance deles gostarem do seu trabalho é grande. Siga cada um deles.

6. Use ferramentas de insights e análises

Um dos elementos-chave de uma estratégia bem-sucedida de mídia social é eliminar as suposições do processo. Felizmente, existem ferramentas e recursos úteis que podem ajudá-lo a obter informações confiáveis ​​sobre seu público-alvo, concorrência e desempenho de suas publicações.

Como vimos em um ponto anterior, obter a análise correta dos dados pode facilitar muito na sua criação de abordagens e no seu crescimento nas redes sociais. Aproveite as plataformas que oferecem avaliações gratuitas e experimente cada uma delas antes de se comprometer com uma assinatura.